De Engenheiro Biomédico a Engenheiro Clínico

Por: Diana Aires

A Engenharia Biomédica é uma área científica multidisciplinar que pretende aplicar as ferramentas teóricas e experimentais da engenharia à Medicina e à Biologia para fins diagnósticos, terapêuticos ou até mesmo de gestão. Embora esta não seja uma área propriamente nova, existindo em alguns países há mais de cinco décadas, em Portugal, o  ensino e a investigação em Engenharia Biomédica são ainda recentes, com uma grande evolução nos últimos 15 anos.

Por norma, é no segundo ciclo de estudos que os estudantes adquirem os conhecimentos e competências necessários para que possam vir a desempenhar funções na área que mais interesse lhes desperta. 

Tabela 1 – Áreas de especialização da Engenharia Biomédica.

Tal como se pode ver na Tabela 1, sendo a Engenharia Biomédica um domínio muito vasto, as áreas de especialização são muito variadas e entre estas encontra-se a Engenharia Clínica. A função do engenheiro clínico consiste em fornecer apoio científico, técnico e gerencial para a administração, departamentos clínicos e corpo médico de um hospital, sendo o seu objetivo proporcionar a melhor qualidade possível dos serviços prestados pelo hospital relativamente às tecnologias médicas. Mais detalhadamente, o apoio clínico consiste no desenvolvimento de instrumentação biomédica e na avaliação e, consequentemente, possível adaptação e melhoramento de equipamentos médicos. Já a prestação de apoio técnico envolve a monitorização contínua dos equipamentos, desde a instalação à desativação, realizando as devidas manutenções corretivas e preventivas. Além disso, o engenheiro clínico poderá também participar na operação e ainda fornecer treino aos restantes utilizadores destas ferramentas. Por fim, um engenheiro que proporcione apoio gerencial poderá auxiliar na gerência de contratos e participar na normatização de procedimentos administrativos, tudo isto com relação à tecnologia médica utilizada pelo centro hospitalar.

Apesar de o engenheiro clínico desempenhar funções indispensáveis ao bom funcionamento de um hospital, o seu trabalho começa muito antes da sua abertura ao público. Ainda na fase de construção do centro hospitalar, o engenheiro clínico participa na elaboração da planta de pré-instalação dos equipamentos, ajudando na seleção dos locais de instalação que confiram um maior grau de segurança e permitam um acesso facilitado.

De um modo geral, a Engenharia Biomédica, em si, já consiste num domínio bastante abrangente e apesar de possuir bastantes áreas de especialização cada uma destas pode ainda levar ao desempenho das mais variadas funções. No caso da Engenharia Clínica, estas funções podem, portanto, estender-se desde o manuseamento e manutenção de equipamentos hospitalares a responsabilidades que visam a segurança hospitalar e ainda a serviços administrativos relativos à tecnologia médica.

FONTES:

Engenharia Biomédica Revista Ingenium n.º 152

Universidade Estadual de Londrina | O que é Engenharia Biomédica?

ACLIN | Você sabe o que é Engenharia Clínica? Entenda!